fbpx

Auto Sabotagem com Crenças Limitantes - Hora de Empreender

Auto Sabotagem com Crenças Limitantes
Compartilhe esse conteúdo!

A auto sabotagem com crenças limitantes, pode estar no caminho entre você e seus objetivos. Veja como contornar esse obstáculo.

Muito comum quando as pessoas encontram um obstáculo, cometem um erro ou acreditam que algo possa ser muito difícil de ser feito, ter a reação de ficar reclamando, ficar apontando os erros dos outros ou de ficar se justificando por não ter feito algo ou não ter obtido o resultado melhor, pois é muito mais fácil ter esse tipo de comportamento do que realmente agir e buscar entender o senário de uma maneira geral, entender um determinado caso com todas as suas particularidades e necessidades.

É quase unanime que isso ocorre devido a algumas ou varias cresças limitantes, a maneira de pensar e ver o mundo que fez com que não se consiga enxergar que as soluções eram possíveis e ainda por cima que algumas vezes eram até mesmo muito simples de se resolver ou de se obter.

Quando a pessoa erra, se procurar, se desculpar e buscar crescer com os tais erros. Ao tentar se justificar fara com que as pessoas que estão ao redor, vendo aquela situação tenham uma visão negativa a respeito da pessoa que cometeu o erro ou falhou e não aceita, não assume tal ação.

Veja abaixo alguns exemplos de cresças limitantes que atrapalham as pessoas de alcançar seus objetivos, de ter uma vida mais prospera e harmoniosa:

“Esse é o meu limite”

É um cresça no qual a pessoa se limita ao que diretamente vê, o limite na grande maioria das vezes foi definido pela própria pessoa, que acredita que algo ao algum problema é grande demais para ela. Porém, um conceito mais aberto de se ver isso é: não existe um problema grande, existe um problema mal organizado.

Se um problema ou projeto parece ser grande de mais e difícil de realizar, deve ser fragmentado em etapas, em camadas. Depois de fragmentar pode ser utilizado um conceito de “bandeira verde” e “bandeira vermelha” para ação, ou seja, algumas etapas ou partes não haverá impedimentos para ação, então essas partes, serão consideradas bandeiras verdes, já as outras partes, que de inicio, terão dependências e impedimentos, serão considerados bandeira vermelha, e deverão permanecer em um estado de espera até que as etapas de bandeira verde sejam concluídas.

Depois se faz uma nova analise das etapas que estavam marcadas como sendo bandeira vermelhas, buscando ver quais delas dependiam das etapas com bandeiras verdes serem concluídas, mudando o status delas e partindo para ação nessas etapas que antes eram consideradas bandeiras vermelhas. E tudo isso se torna um ciclo continuo até a conclusão de todas as etapas.

Ao longo do processo, haverá um amadurecimento de conhecimento e da percepção do individuo que perceberá que algumas etapas que de inicio haviam sido definidas como bandeira vermelha, na verdade não era.

“Eu não consigo fazer isso”

Essa crença é muito comum e que faz com que você deixe de buscar, por pura cresça de que não tem capacidade, que está distante da realidade dele, sem nem ao menos tentar.

Existe uma história popular, que não me recordo no momento da origem dela, que fala sobre um professor do ensino médio que colocou uma expressão matemática no quadro para desafiar os seus alunos, dizendo ser impossível soluciona-la completamente para aquele ano escolar, porém havia um garoto que estava dormindo na sala de aula enquanto o professor falava isso, mas, acordou alguns instantes depois, e, vendo o calculo no quadro negro, começou e resolve-lo e entregou ao professor no final da aula, com o resultado correto.

Isso aconteceu porque o garoto não sabia que aquilo deveria ser impossível para ele, e como estava no quadro negro quando ele acordou, presumiu ser mais um calculo qualquer pertinente ao seu nível escolar e simplesmente começou a resolver a expressão matemática buscando separar por partes que ele já conhecia até a resolução completa da questão.

O grande ponto dessa história é que não havia sido inserida nele a crença limitante de que aquilo era impossível para o seu nível escolar. E isso é aplicável em qualquer área de nossas vidas, e essas limitações geralmente são assumidas pelo próprio individuo, que permite que a sociedade no qual esteja inserido determine dite essas limitações.

“Eu não consigo aprender”

De uma maneira geral, no qual as pessoas não sofrem de uma debilidade mental, é uma cresça totalmente irreal.

O que pode ocorrer de fato é que um determinado assunto não pertença ao ambiente comum da pessoa, o que faz com que as referencias existentes no atual momento dela, não permita a compreensão direta e com facilidade, pois não há uma relação no qual ela possa comparar e ter um parâmetro base para criar analogias para compreender um determinado assunto.

Isso não significa que a pessoa não tem capacidade de aprender, mas sim que o caminho pelo qual ela terá que percorrer para o entendimento é maior.

A pessoa terá que buscar conceitos mais básicos até atingir um ponto de maturação mínima para utilizar como paramento para entender um determinado conceito que é novo para ela, provavelmente terá que estudar o mesmo conteúdo por mais vezes até conseguir assimilar.

É por isso que muitos têm dificuldade para aprender um novo idioma, por exemplo, às vezes as referencias de linguagem que a pessoa compreende, não é aplicável para aquele novo idioma, tornando-se necessário mudar alguns paradigmas para aprender algo novo.

“Precisa ser perfeito”

Muitas pessoas deixam de realizar os seus planos, por acreditar que precisam alcançar o auge da perfeição para só então apresentar os planos para um potencial investidor, um produto ou serviço para um cliente, ou se expor em uma apresentação publica por exemplo.

Como não conseguem alcançar a perfeição almejada, simplesmente desistem, deixam de fazer, se deixam levar pelo estres e exaustão, quando na realidade não precisa ser perfeito, e sim feito, e isso não quer dizer entregar um produto ou serviço relaxado, mas sim com o mínimo suficiente para atender esses clientes em potenciais.

Esse pensamento não é só relacionado ao mundo empreendedor. É em todas as áreas, como quando uma pessoa está aprendendo a cantar ou tocar um instrumento, e o deixa de fazê-lo em publico por saber que não está perfeito, que ainda tem erros, ou nos esportes, quando alguém deixa de praticar por não saber ou não ter adquirido a habilidade para ser o melhor ou competir com os melhores.

Essa cresça priva as pessoas de crescerem e evoluírem, de tentarem algo novo, de explorar o desconhecido. No ambiente empreendedor, é possível criar um produto mínimo viável e entregar ao cliente, pode usar o argumento de ser uma versão beta de desenvolvimento e que o cliente terá o direito a receber possíveis correções de funcionalidades, e coisas do tipo.

No decorrer do tempo, busca sanar todos os pontos falhos, realizando todos os ajustes e personalizações necessárias para atingir o ápice esperado pelo seu cliente ou pela estratégia definida. A hora para agir é agora e não amanhã!

“Faço melhor sozinho”

Essa crença tem origem na falta de confiança de que outras pessoas também podem realizar seus feitos tão bem, ou melhor, do que ela mesma. Ou ainda, a pessoa não acredita que os outros poderão aprimorar as suas ideias.

Tudo isso faz com que a pessoa se limite ao que entende e vê, não permitindo a percepção de outros sobre suas ações, faz também que ela se sobre carregue com atividades que não agregam tanto valor para o seu negócio, mas que é necessário. Se tal atividade for delega para outras pessoas, ela poderá se dedicar a atividades mais importantes, mais estratégicas.

“Eu tenho que ser o melhor”

Essa cresça faz com que a pessoa enquanto não se considera o melhor, não se considera apta a por seus planos em ação, fica postergando, esperando o dia em que terá alcançado a excelência em conhecimento para agir, quando na verdade, muitas vezes, nem todo aquele conhecimento, que ela acreditava ser importante, era realmente necessário, ou ainda, que poderia ser delegado.

Buscar a melhoria continua, é natural, indicado e saudável, porém, se bitolar nessa busca, produz um efeito reverso, se torna uma obsessão tornando a pessoa improdutiva. Lembre-se a pessoa que sabe e não age tem tanto valor quanto a pessoa que não sabe, e conhecimento só é útil quando colocado em ação.

Outra característica proveniente desse tipo de cresça é quando a pessoa acredita que está se especializando, que detém muito conhecimento a respeito de algo, que todo aquele tempo de estudo e dedicação fez com que se tornasse autoridade em algo, faz com que ela não aceite com facilidade a opinião de que ela não considera ser especialista, se rotulando como a melhor naquilo.

E pior, muitas vezes ela prefere estar cercada de pessoas que não se dedicaram tanto como ela, que ela juga ser inferior a ela, não buscando estar em contato com pessoas que podem ser melhores que ela, que podem agregar mais conhecimento e que podem fazer se questionar sobre o conhecimento adquirido, tendo assim, um maior amadurecimento sobre tal.

Essas são apenas algumas cresças que fazem parte do dia a dia de muitas pessoas, que na maioria das vezes, nem de dão conta que possuem tais crenças. Se esse é seu caso, só para ter certeza, leia novamente esse texto, com a mente mais aberta para acertar que pode haver estar com algumas delas sim. Abrir a mente para aceitar que as possui, é o primeiro passo para mudar de atitude e obter melhores resultados.

Imagem by freepik

 


Compartilhe esse conteúdo!

hashtags do post

Olá! Deixe seu comentário!

Conte-nos o que você achou desse conteúdo?

+ Relacionados

Veja alguns conteúdos que também podem lhe interessar.

+ Populares

Veja os conteúdos mais populares do Hora de Empreender.